HPV (Papilomavírus humano)

O HPV (Papilomavírus humano) foi apontado pela OMS (Organização Mundial de Saúde – WHO) como principal fator de risco para o desenvolvimento do câncer de colo uterino, tornando-se assim um importante e gravíssimo problema de saúde pública, especialmente nos países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento.

Nas duas últimas décadas, o conhecimento sobre o ciclo de vida do HPV e seu papel no desenvolvimento dos cânceres ginecológicos (principalmente colo uterino, e vulva nas mulheres e câncer de pênis nos homens) e proctológicos (principalmente câncer anal), ampliou-se drasticamente.

Minha missão no estudo do HPV

A minha missão no estudo do HPV deu início no início de minha carreira já na Faculdade de Medicina onde adquiri vasta experiência em Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) entrando em contato com uma população carente economicamente e com alta incidência da doença.

Posteriormente no meu Doutorado em Urologia pela Clínica Urológica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo tive a oportunidade de estudar o comportamento do HPV tantos nos homens como em suas parceiras utilizando métodos padronizados de diagnóstico bem como da utilização de metodologia avançada com o estudo do DNA do HPV.

Atualmente com o avanço tecnológico dos Hospitais Israelita Albert Einstein, São Luiz
e Santa Paula venho rotineiramente desenvolvendo meus estudos e aprimorando meus conhecimentos na área e me dedicando à saúde de meus pacientes.

Juntamente com profissionais extremamente qualificados no estudo do HPV nas diversas áreas da medicina e da ciência básica, publiquei um livro- HPV na Prática Clínica, ganhador do 48° Prêmio Jabuti em 2006.

Informações sobre o HPV

O papilomavírus humano (HPV) é responsável pela doença sexualmente transmissível mais freqüentemente diagnosticada.
São conhecidos mais de 100 tipos de HPV diferentes e aproximadamente 35 deles sabe-se que estão relacionados à infecção genital e anal.

Do mesmo modo, é bem conhecida e definida a relação do HPV com o desenvolvimento de sua lesão clínica – condiloma- e sua relação com o Câncer cervical uterino e suas lesões precursoras.

A maior parte destas lesões localiza-se na porção interna do prepúcio que é recoberta por pele. Esta região é sede, freqüentemente, de processos inflamatórios, principalmente nos homens não circuncidados ou postectomizados , portanto a visita ao urologista na presença de alterações anômalas e suspeitas nos genitais é mandatória e fundamental.